7 PRINCÍPIOS DE GOVERNO

SETE PRINCÍPIOS GOVERNAMENTAIS DA AEP – O QUE SÃO E POR QUÊ?

A Abordagem Educacional por Princípios (antes chamada de Educação por Princípios) compreende uma visão e práticas de ensino-aprendizagem reflexivas que colocam a Verdade da Palavra de Deus no centro de cada área educacional. Partindo do reconhecimento da soberania de Deus em todas as áreas da vida, conduz o estudante a raciocinar por meio de princípios e exame das relações de causa-efeito exercido, para internalizar uma cosmovisão Bíblica conforme se apropriado do conhecimento de conhecimento. Foi estruturada encaminhada pela FACE como abordagem educacional a partir da observação do método colonial histórico de educação que gerou a nação dos EUA e sua república livre.

Analisando nos dias de hoje, um AEP integra vários elementos atribuídos por sua contribuição à efetividade do processo educacional, como: formar padrões de pensamento e hábitos saudáveis, conquistar primeiro o coração e depois a cognição, professor como currículo vivo e tutor para diferentes estilos de aprendizagem. Seu aspecto clássico por natureza, enfatizando literatura, oratória e retórica, a pesquisa em fontes primárias, o papel das artes e o uso da lógica na maneira de pensar, a colocação no cenário de metodologias como o Trivium, que tem ganho destaque. Seu enfoque reconhecendo o valor da criança e da família conforme a tradição cristã, que representa a grande maioria da população do Brasil, também contribui para aumentar seu apelo.

Contudo, é necessário entendê-la bem, para poder compreender seu alcance real e evitar reduzi-la ou mistificá-la. Desde esta Abordagem foi introduzida no Brasil, os Sete Princípios se sobressaíram, sendo percebidos por alguns como a chave de aplicação da AEP. Felizmente muito material bom tem sido publicado e cursos oferecidos pela AECEP, trazendo crescimento e maturidade entre os muitos praticantes dessa abordagem. Hoje todos já se servem aos 7 princípios como governo, sabendo que sua aplicação no processo de ensino-aprendizagem, promover autogoverno e responsabilidade para cultivar liberdade e prosperidade, ou mesmo ordem e progresso como apontado em nossa bandeira.Estes não são os princípios básicos, mas são essenciais para conduzir nossa vida e governar sobre ela e sobre nossas realizações,

Princípio não é um substantivo, ou uma simples premissa. Amor não é um princípio, mas “amor como escolha ou obediência” sim. Deve expressar uma relação de causa-efeito implícita, assim como os 7 princípios governamentais servem para ordenar nossas, decisões e decisões de forma consistente, treinando a mente desde quando pequenos para pensar governamentalmente numa cosmovisão cristã. Sua origem na FACE foi resultado de vasta pesquisa histórica identificando uma plataforma de fundação presente na educação colonial e na linha de raciocínio dos patriotas que elaboraram a Constituição dos EUA e sua forma de governo. Como a tradição daquele país é cristão desde o início, eles denotam um alinhamento claro bíblico.Além disso, o Dr. Paul Jehle, como erudito e pastor profundamente conhecedor da Bíblia, também identificou 7 princípios que foram dados por Deus a Adão no Jardim do Éden, que são abrangentes e padrões de pensamento através do texto sagrado, e formam padrões de pensamento para orientar o primeiro homem a cumprir o mandato de Deus, relacionando-se com Ele e com o próximo. Há uma grande correlação entre esses princípios expressos historicamente e teologicamente.

Posto isso, podemos percorrer os 7 princípios administrativos, observando sua origem histórica e correlação teológica, e atentar para o exercício coerente de sua aplicação e fruto esperado. Vejamos de forma bem resumida:

  1. O Princípio da Individualidade de Deus / Individualidade : expresso no próprio Deus e na sua criação, que aponta uma vocação de cada ser com um propósito, e permite uma variedade complementar entre todos.
  2. O Princípio Cristão de Autogoverno / Governo : para ter verdadeira liberdade devemos ser governados internamente, o que só é possível quando aprendemos a obedecer a Deus em Cristo.
  3. Herança Americana do Caráter Cristão / Caráter : a imagem de Deus manifesta no indivíduo que é gerado nas características de Cristo impacta positivamente sua vida, ambiente e especiais.
  4. A Consciência é a Propriedade Mais Sagrada / Mordomia : começamos praticando consentimento com nossa consciência, para chegarmos a ser responsáveis produtivamente pela propriedade externa
  5. A Forma Cristã de Governo / Soberania : o fluxo legítimo de poder vem de Deus através de nós e de nossas instituições, o que nos permite equilibrar as funções dele decorrentes (planejar, agir e avaliar – legislativo, executivo e judiciário) para evitar tirania no indivíduo e nas instituições.
  6. Plantando a Semente do Autogoverno Local / Semeadura e Colheita : é preciso semear continuamente nos pensamentos, palavras e ações dos fundamentos do governo de Deus, para colher os resultados esperados no indivíduo e na sociedade.
  7. O Princípio Cristão da União Política Voluntária / Aliança : o acordo interno produz união externa, nas esferas da vida doméstica, comunitária e de nação.

Essa apresentação dos 7 princípios governamentais é introdutória, porém permite conscientizar sobre o significado e propósito de cada um, para tirar o melhor proveito em sua aplicação da AEP. Incentivo que você estude mais sobre cada um deles, procure absorver um padrão de pensamento que formam, para moldar primeiro sua vida, e depois a das pessoas de sua influência. Raciocinar por princípios é um estilo de vida, e se eles são os mais inerentemente públicos, conduzir a uma forma de viver e realizar cada vez mais alinhada com uma maneira de Deus.Eu e minha família precisamos disso, meu trabalho e minha igreja também, e nossa cidade e nação carecem muito disso!
Abraço no amor do Senhor.

Roberto Rinaldi Júnior
Presidente do Conselho de Administração da AECEP