O que é um Princípio Bíblico?

HPIM0574

O que significa nos dias de hoje ser alguém que vive os princípios bíblicos? É comum em nossa linguagem evangélica dizer: “Eu sigo os princípios bíblicos”, ou “princípios cristãos”. Mas qual o real significado de uma vida pautada em princípios bíblicos? A sociedade fala em princípios éticos, as empresas e instituições gostam de deixar bem claro quais são seus princípios, as famílias se orgulham de criarem seus filhos dentro dos princípios morais.

Outro dia eu estava em uma sala de espera de uma grande empresa e lá havia um quadro no qual estava registrado de forma bem clara os princípios daquela empresa. 18 Quantas vezes nós mesmos falamos: “Aquela pessoa não tem princípios!” ou “que falta de princí- pios!” Outras vezes durante muitas pregações ouvimos expressões como: “A vida do cristão deve ser uma vida de princípios” ou “os nossos princípios são diferentes dos princípios deste mundo”.

Mas afinal, o que é um princípio? Viver uma vida pautada em princípios bíblicos é apenas um “jargão” evangélico ou é algo que realmente traz mudanças à nossa vida? A palavra “princípio” significa a origem, a causa, um rudimento, uma verdade absoluta. Um princípio é algo que não muda, difere-se de uma opinião, de uma boa ideia, não é relativo e não está preso a um contexto histórico, a uma época específica ou a um costume. A Bíblia é um livro que contém inúmeros princípios, verdades absolutas que não se prendem ao contexto histórico ou à época em que foram escritas: São princípios, verdades eternas.

Para identificarmos um princípio bíblico, devemos checar se ele é uma verdade no Velho e no Novo Testamento, se é uma verdade que pode ser aplicada no Brasil, na África, na China ou em qual- 19 quer outro lugar do mundo, se poderia ter sido aplicado em uma situação nos séculos passados e se poderá ser aplicado nos próximos séculos.

Um princípio é atemporal. O coração de Deus deseja que esquadrinhemos a sua Palavra e nela encontremos suas verdades eternas, pois os princípios da Palavra de Deus nos trazem a revelação de quem é o próprio Deus. Quando começamos a pensar a partir de princípios bíblicos e não a partir de opiniões ou “achismos”, o nosso estilo de vida muda se torna mais consistente.

O resultado de vivermos dentro dos princípios bíblicos é uma vida equilibrada, as nossas ações começam a serem governadas por Deus, tanto na igreja como na vida em família ou na administra- ção dos nossos negócios.

A nossa mente torna-se “cativa” à mente de Deus; caminhamos em direção aos seus pensamentos e começamos a ver tudo que nos cerca numa perspectiva bíblica. “Derrubamos raciocínios e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo o pensamento à obediência de Cristo.” (2 Coríntios 10.5)

Parece uma afirmação óbvia, mas realmente em nosso dia a dia, na vida da igreja, nos negócios, nos estudos, nos relacionamentos, nas decisões, parece existir uma distância entre os absolutos de Deus e a nossa própria maneira de governar a nossa vida. Vivemos um grande momento de expansão do evangelho, em que muitos se achegam a Jesus, à comunhão da Igreja. Como cumpriremos esse desafio de ensinar uma geração a agir e pensar como Deus pensa? Temos um privilégio e um desafio de ensinarmos a uma geração uma maneira de pensar, não de forma teórica, mas prática.

Mas como? Do que você está falando? Falo de como agimos ao fazer uma compra e nos sentirmos lesados em nossos direitos. Qual o princípio bíblico, qual a verdade de Deus a ser revelada em nós ao tratarmos o nosso funcionário? Qual o nosso pensamento e atitude ao ouvirmos uma reportagem sobre a rebelião em um presídio, uma devastação ecológica, um assassinato ou a corrupção no governo? A Igreja tem como prioridade preparar pessoas que “pensam como Deus pensa”, que apresentem soluções bíblicas para uma sociedade sem respostas. Isso causará impacto na sociedade, cidade e nação.

 Torna-se urgente aprofundarmos na perspectiva bíblica sobre as questões sociais, de governo e economia. A Bíblia nos aponta um caminho e não uma alternativa. Ela é a verdade.

Quando identificado e aceito, um princípio bíblico torna-se uma verdade interior que governa nossas ações. “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes e penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.” (Hebreus 4.12)

ANDANDO EM CÍRCULOS

Às vezes temos a sensação de que andamos em círculos. Usamos uma terminologia evangélica, buscamos ao Senhor, mas há uma distância tremenda entre o nosso estilo de vida na igreja e fora do ambiente da igreja. Precisamos entender que o cristão, independente do ambiente em que esteja, continua a ser cristão. Deus não nos chamou a uma vida dúbia, pensamentos e atitudes inconstantes. “Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu.” (1 Reis 18.21)

A sociedade e as escolas nos ensinam que uma verdade é condicionada ao tempo e às experiências pessoais; contudo, como ensinar os pensamentos 24 de Deus, seus absolutos, seus princípios a um mundo em constantes mudanças, em que tudo é relativo e cada verdade é construída de maneira única? “Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cuja mente está firme; porque ele confia em ti.” (Isaías 26.3) “Pois quem conheceu a mente do Senhor que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.” (1 Coríntios 2.16)

 O nosso Deus continua o mesmo. Ele estabeleceu para toda e qualquer área de nossa vida um padrão, um caminho que sempre conduzirá à vida, a uma maneira de pensar e agir coerentes com a nossa fé. Parar de andar em círculos significa ter uma direção certa, um lugar aonde se quer chegar, ser estável e saber que todas as nossas atitudes encontram na Palavra de Deus orientação. “Não cesses de falar deste livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, cuidando de fazer segundo tudo quanto nele está escrito. Então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” (Josué 1.8)

Embora pareça simples, nem sempre vivemos a prática de “fazer conforme tudo o que nela está escrito”!

( CONTINUA NO LIVRO CRISTÃOS DE TEMPO INTEGRAL – VIVENDO OS PRINCÍPIOS BÍBLICOS)

AUTORA: HÉLVIA ALVIM FREITAS BRITO

PÁGINAS 17 A 26    

Classifique este blog:
A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA
Reflexão: O que Deus espera encontrar na Escola Cr...

Posts Relacionados