Ensino Domiciliar: uma opção viável

Aconteceu no Rio de Janeiro, dos dias 9 a 12 de Março, a Conferência Global de Educação Domiciliar.  Participaram desta Conferência lideres formuladores de politicas públicas, pesquisadores, lideres de movimentos e pais interessados na Educação Domiciliar.

De acordo com a Global Home Education, organizadora da Conferência, a Educação Domiciliar, utilizando soluções educacionais tradicionais, vai ao encontro das necessidades de famílias que estão insatisfeitas por diversas razões – intimidação (“bullying”), baixos padrões acadêmicos, convicções religiosas e filosóficas, entre outras. A realidade de um ensino tradicional generalista não é adequada para todo mundo, assim como também são inadequados muitos dos métodos modernos, os quais são apresentados como fundamentais para uma educação “emancipadora” ou “libertadora”, sem explicitar do que é que estão tentando emancipar ou libertar as crianças.

Apenas uma comparação entre o que foi ensinado há 40 ou cinquenta anos atrás e o que é aprendido agora, mostra que as crianças estão sendo privadas do conhecimento que realmente as libertaria para que pudessem avançar na busca por conhecimento significativo e profundo. Estão privando a criança da capacidade para ler e escrever com competência, de expressar-se responsavelmente e de compreender de forma clara o que lê ou ouve. Na prática, os métodos ditos modernos, em sua maioria, têm conduzido gerações ao analfabetismo funcional.

Estamos vivendo um período no qual os frutos desses métodos já podem ser percebidos inclusive entre professores de todas as áreas do saber. Grande parte dos Pedagogos, o que inclui mestres e doutores nas diversas áreas da Educação, têm sido incapazes de produzir textos que expressem domínio sobre qualquer área de conhecimento e, certamente, isso implica também que estes mesmos educadores, sejam recém-formados ou mestres e doutores, não conseguem compreender verdadeiramente o que leem.  Portanto, do que eles podem “emancipar” nossos filhos? O que eles estão chamando de educação emancipadora?

Segundo Alexandre Magno, Diretor Jurídico da ANED – Associação Nacional de Educação Domiciliar, principalmente por uma falta de regulamentação no país, muitos foram os nomes que surgiram e acabaram sendo adotados por diferentes pessoas para designar o ensino em casa. Para Alexandre Magno, a melhor expressão seria “instrução dirigida pelos pais” Primeiro, por instrução ser algo mais específico que a educação, mais abrangente. Segundo, ao restringir a instrução aos pais (ou responsáveis, se for o caso) explicita à quem cabe os direitos e deveres da formação intelectual da criança ou do adolescente. Educar é mais que instruir, portanto a educação é muito mais que um direto da família; trata-se de um dever da família, dever este que tem sido usurpado pelo Estado já há muito tempo.

De acordo com o diretor da ANED, o código civil estabelece que cabe aos pais determinar e dirigir a educação dos filhos. A prevalência é da família. O Estado atua com permissão da família ou na ausência da família, isto é, quando a família não tem condições de educar as crianças. Este dever da família não desaparece quando os filhos vão para a escola, como pensam algumas famílias. O direito de decidir a educação dos filhos é prerrogativa dos pais.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos reconhece o direito à educação e proclama que deve ser dirigida "ao pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e liberdades fundamentais" (artigo 26, 2). Através da pessoa, a educação afeta famílias, bairros, vilas, cidades, estados, culturas, nações e o mundo inteiro. Segundo Alexandre Magno, baseado inclusive neste artigo, a  Educação Domiciliar agora foi oficialmente reconhecida como um dos inalienáveis direitos humanos. Qualquer tentativa de restringi-la ou de reprimi-la deve ser imediatamente denunciada às entidades de direitos humanos de sua cidade ou estado.

 

Se o leitor estiver interessado em saber mais sobre o assunto, recomendamos fazer contato com os sites abaixo:
Aned - www.aned.org.br
www.encontrandoalegria.com
http://estimulandomeusfilhos.blogspot.com.br
http://comoeducarseusfilhos.com.br/blog/

Classifique este blog:
Resenha: Uma História Politicamente Incorreta da B...
Carta aos Associados